"Nzambi a tu bane nguzu um kukaiela"

sexta-feira, 28 de abril de 2017

19 de Maio: Dia de Malcolm X - "O Legado Pan-Africano de Malcolm X".


92 anos de Malcolm X.

O homem que nasceu um Little, foi "mascote" na infância, 'Detroit Red' na mocidade, um número para o sistema, e sobrevivendo às drogas, corretores de apostas inimigos, policiais, a química 'congo lene', detenção e mesmo ao fogo da Ku Klux Klan, se tornou um dos maiores Nacionalistas Pretos da história. Tão fervorosa e verdadeiramente entregue à luta pelo seu povo que terminou seus dias na terra exercendo a tão árdua quanto honrosa tarefa de lutar pela emancipação de todas as pessoas pretas do mundo. Uma grande referência a todos os Africanos aonde quer que estejam, um grande indivíduo cujo amor por seu Povo Preto era tão grande, que nem ameaças de morte, nem mesmo a própria morte, pôde deter seu legado crescente e de relevância imensurável a várias gerações de pretos e pretas por todo o globo, pessoas que mudaram positivamente as suas vidas e suas percepções de mundo após conhecerem Malcolm X.
Três irmãos referência de luta e diligência pelos seus, de grande estima e competência, vão discorrer sobre aspectos da vasta contribuição ao Pan-Africanismo Nacionalista Preto que Malcolm X nos deixou. Milton Barbosa do Movimento Negro Unificado; Caroline Amanda do Coletivo Negro Carolina de Jesus, da UFRJ; Abisogun Olatunji da União dos Coletivos Pan-Africanistas.
Teremos, ainda, o som de Q.I. Alforria e Rogério Z.L.
Tradicionalmente, todas as atividades que ajudamos a organizar têm o objetivo de fomentar a irmandade prática entre os nossos através da acolhida e participação de todos e todas na organização e desenvolvimento. Portanto, quem puder contribuir com algum alimento para ser consumido no lanche coletivo no ato do evento será de grande valia, seja suco, pão, bolo, biscoito, frutas, à vontade e sem qualquer pressão. E não se preocupem de forma alguma com isso, não há qualquer obrigatoriedade.

Dia 19 de Maio
Horário: a partir das 18:30
Local: Galeria Olido
Avenida São João, 473
São Paulo/SP

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Ella foi a primeira visita - AUTOBIOGRAFIA DE MALCOLM (COLABORAÇÃO ALEX HALEY) FRAGMENTO DO CAPÍTULO DEZ - SATÃ

Ella foi a primeira visita. Lembro de ter percebido que ela fez um tremendo esforço para se controlar e tentar me sorrir, vendo-me no macacão desbotado ordinário, com um número no peito. Nenhum de nós dois conseguia encontrar muita coisa para dizer, a um ponto tal em que cheguei a desejar que ela não tivesse vindo. Os guardas com espingardas vigiavam cerca de 50 presos e visitantes. Muitas vezes, ouvi dezenas de novos presos jurando em suas celas que a primeira coisa que fariam, ao sair, seria tocaiar aqueles guardas da sala de visitas. Todo ódio que sentíamos geralmente se concentrava neles.

AUTOBIOGRAFIA DE MALCOLM 
(COLABORAÇÃO ALEX HALEY)
FRAGMENTO DO CAPÍTULO DEZ - SATÃ

Ella Little-Collins (1914 - 1996)


Ella Little-Collins (1914 - 1996) foi uma ativista afro-americana pelos direitos civis. 
Nasceu em Butler, Georgia. Filha de Earl Little e Daisy Mason-Little.

Foto de Ella e Malcolm - Década de 1940


Ao sair da prisão, a mente tenta apagar a experiência. AUTOBIOGRAFIA DE MALCOLM (COLABORAÇÃO ALEX HALEY) FRAGMENTO DO CAPÍTULO DEZ - SATÃ

Ao sair da prisão, a mente tenta apagar a experiência. Mas não é possível . Tenho conversado com muitos homens que já estiveram na prisão. Sempre achei interessante verificar que muitos detalhes dos anos na prisão foram inteiramente apagados de nossas mentes. Mas, em todos os casos, pode-se descobrir uma coisa: um ex-preso jamais consegue esquecer as grades.

AUTOBIOGRAFIA DE MALCOLM 
(COLABORAÇÃO ALEX HALEY)
FRAGMENTO DO CAPÍTULO DEZ - SATÃ

Shorty não sabia o que significava “concomitantemente” - AUTOBIOGRAFIA DE MALCOLM (COLABORAÇÃO ALEX HALEY) FRAGMENTO DO CAPÍTULO DEZ - SATÃ

Shorty não sabia o que significava “concomitantemente”.
A velha mãe de Shorty conseguiu de alguma maneira arrumar o dinheiro para a passagem de ônibus de Lansing para Boston. Visitando-o constantemente na cadeia, enquanto esperávamos o julgamento, ela lhe dizia, a todo momento:
_ Filho, leia o livro das Revelações e reze a Deus!
Shorty passou a ler parte da Bíblia (o Livro do Apocalipse). Chegou mesmo a um ponto em que volta e meia ficava de joelhos, rezando como algum diácono batista negro.
Finalmente fomos julgados e chegou o momento de ouvirmos a sentença, noTribunal do Condado de Middlesex (creio que das nossas acusações eram por crimes cometidos nesse condado). A mãe de Shorty estava soluçando, abaixando e levantando a cabeça para o seu Jesus, sentada perto de Ella e Reginald. Shorty foi o primeiro a receber a ordem de ficar de pé para ouvir a sentença.
_ Acusação um, de oito a dez anos...
_ Acusação dois, de oito a dez anos...
_ Acusação três...
E finalmente o juiz declarou:
_ As sentenças serão cumpridas concomitantemente.
Shorty, suando tanto que o rosto preto parecia estar coberto de vaselina e sem compreender o que significava “concomitantemente”, havia somado mentalmente as sentenças e chegara à conclusão de que teria de passar mais de cem anos na prisão. Começou a chorar desesperadamente, as pernas bambas. Os guardas tiveram que se adiantar para ampará-lo.
Em oito a dez segundos, Shorty se tornara tão ateu quanto eu fora desde o início.

AUTOBIOGRAFIA DE MALCOLM 
(COLABORAÇÃO ALEX HALEY)
FRAGMENTO DO CAPÍTULO DEZ - SATÃ


Malcolm com 15 anos com sua irmã Ella e amigos nesta foto de 1941, no parque em Boston

Malcolm com 15 anos com sua irmã Ella e amigos nesta foto de 1941, no parque em Boston. 

quarta-feira, 26 de abril de 2017

domingo, 2 de abril de 2017

Adão, Al Eleazar Fun e Milton Barbosa - "João Victor Vive" - 1/4/17


Essa foto é pesada demais.
Irmãos incorruptíveis.
Fiéis as suas convicções pretas.
Exemplo para nós.
Vendo nossos griots, tenho certeza que estamos fazendo a coisa certa.

domingo, 1 de janeiro de 2017

XXVII YOUNG BLACK - Reforçando a Identidade do Jovem Preto



Sábado, 14 de janeiro às 13:00 - 19:00

CASA DE CULTURA GRAJAÚ - PALHAÇO CAREQUINHA
Endereço: Rua Professor Oscar Barreto Filho nº 50
Parque América - Grajaú - São Paulo - SP

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


Escola Pan Africana Marcus Mosiah Garvey


sábado, 17 de setembro de 2016

SÁBADO, 24 DE SETEMBRO - 14H

UM CLÁSSICO DE SPIKE LEE,COM UMA EXCELENTE TRILHA SONORA. 

(FILME E DISCUSSÃO)


SINOPSE: Crooklyn é um filme de Spike Lee no qual a atriz Alfre Woodard estrela como Carolyn Carmichael, uma mãe carinhosa e preocupada que luta com dificuldades para acertar a vida de seu marido Woody (Delroy Lindo), um músico desempregado, e educar seus cinco filhos.
Complementado por uma contagiante e exclusiva trilha sonora de Rhythm & Blues, este delicado filme, repleto de cores, é um tributo à família americana.

LOCAL: Rua Manima, 68, São Paulo - SP, 08180-140, Brasil

(TRAV. DA RUA TIETÊ - PENÚLTIMA RUA A ESQ)

(JD. HELENA (PONTO FINA)

* CONTRIBUIÇÃO: SUCO, SALGADOS,DOCES,FRUTAS, ETC

quarta-feira, 14 de setembro de 2016



Lançamento do livro ASSATA SHAKUR - ESCRITOS com Gilza Marques e Andreia Beatriz (REAJA) 

"Meu nome é Assata Shakur (nome de escrava Joanne Chesimard) e eu sou uma Revolucionaria Preta." 

+ ESPECIAL TUPAC SHAKUR (videoclipes) 

+ Intervenção poética com Beatriz Venâncio e Daniel Marques.